A que ponto chega o ser humano: Mulher mata vizinha a facadas por vaga de emprego em São Paulo

A que ponto chega o ser humano: Mulher mata vizinha a facadas por vaga de emprego em São Paulo

Érica ao centro da foto de blusa verde e a irmã Débora

Uma jovem de 24 anos foi morta a facadas pela vizinha, na noite deste sábado (13), em Santos, no litoral de São Paulo. Segundo informações de familiares, a autora do crime queria a vaga de emprego da vítima, Érica Oliveira da Silva, e há dias elas discutiam sobre o assunto. Além da jovem, a suspeita feriu outras duas irmãs da vítima. Até o momento, ninguém foi preso.

Érica era assistente administrativa em uma empresa de concreto localizada no bairro Monte Cabrão, onde mora. Segundo a irmã da vítima, Rafaela Oliveira da Silva, há dias ela e a vizinha, identificada pela Polícia Civil como Angélica da Cruz, discutiam sobre o emprego da irmã. "Ela estava desempregada e queria a vaga da minha irmã. Sempre que a Érica passava, elas se provocavam. Isso acontecia todos os dias", explica.

Por volta das 20h deste sábado, Érica, Rafaela e mais duas irmãs voltavam para casa quando Angélica as viu na rua e começou a provocar a vítima. "Eu não lembro o que foi que ela disse, mas sei que ela gritou algo e minha irmã começou a retrucar. Elas começaram um bate-boca e o pai, o irmão e o marido da agressora saíram para ajudar."

Segundo Rafaela, durante a discussão, o pai de Angélica segurou Érica para que ela ficasse imóvel enquanto a filha esfaqueava a vítima. A faca foi entregue à suspeita pelo próprio marido que, segundo testemunhas, também teve participação no crime. Rafaela foi a única das quatro irmãs que não teve ferimentos e, imediatamente, solicitou o socorro. "A ambulância demorou muito, decidimos não esperar e meus pais levaram elas para o Pronto Socorro de carro", relembra.

Érica deu entrada no Pronto Atendimento Médico (PAM) da Rodoviária já sem vida. Débora Oliveira da Silva, de 32 anos, e Daniele Alves de Oliveira, de 27, foram transferidas para o Hospital Santo Amaro em estado grave. Daniele passou por procedimento cirúrgico e se encontra na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com ferimentos no pulmão e intestino. Débora está em observação.



g1.globo.com/sp




Nenhum comentário

DESTAQUES

Assaltantes fazem policiais reféns, explodem cofre de banco e apavoram Jacundá com tiroteio

Um grupo fortemente armado rendeu uma guarnição da Polícia Rodoviária Estadual em Jacundá e promoveu um tiroteio, por cerca de uma hora,...