FAKE NEWS-Vaticano desmente envio de terço a Lula na prisão

REDAÇÃO CENTRAL, 12 Jun.18/10:30- Após a divulgação na segunda-feira de que o Papa Francisco teria enviado um terço de presente para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), a informação foi desmentida hoje por Vatican News.

Na tarde de segunda-feira, foi publicada na página de Facebook de Lula uma foto de um terço juntamente com um papel no qual se vê o brasão e a assinatura do Papa Francisco. Segundo indicam, o objeto teria sido um presente enviado pelo Santo Padre através de Juan Gabrois, ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz, o qual apresentam como assessor do Pontífice.

Entretanto, nesta terça-feira, a página de Vatican News no Facebook publicou uma nota de esclarecimento, na qual desmente a declaração de que o terço seria um presente do Papa ao ex-presidente.

“Em mérito às notícias circuladas sobre o suposto envio de um Terço pelo Papa Francisco ao ex-presidente Lula, esclarecemos que o advogado argentino Juan Gabrois, fundador do Movimento dos trabalhadores excluídos e ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz, tentou fazer uma visita – a título Pessoal – ao ex-presidente, tendo após a tentativa infrutífera, concedido uma entrevista diante do prédio da Polícia Federal em Curitiba”, relatam.

“Na entrevista – e nos ativemos a ela – em nenhum momento Grabois afirmou que o Terço foi enviado pelo Santo Padre, mas apenas ‘abençoado’ pelo Papa”.

O mesmo esclarecimento é reforçado em uma publicação no Twitter de Vatican News, na qual assinala que “se atém ao que disse o advogado Juan Grabois: o terço não é um presente do Papa Francisco a Lula”. “Como tantos outros, é um terço abençoado e distribuído em inúmeras ocasiões. A visita era pessoal e não em nome do Papa”, acrescenta.

Em vídeo divulgado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Grabois afirma que levou “um terço abençoado pelo Papa Francisco”, porém o tradutor diz que ele “trazia este rosário que é um presente do Papa ao presidente Lula”.

O advogado argentino Juan Grabois, apresentado nas redes sociais de Lula e PT como assessor do Papa Francisco, é ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz, o qual foi extinto após a criação em 31 de agosto de 2016 do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, no qual houve a fusão do Pontifício Conselho Cor Unum, do Pontifício Conselho Justiça e Paz, do Pontifício Conselho para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes e do Pontifício Conselho da Pastoral para os Agentes de Saúde.

As contas de Facebook e Twitter de Vatican News em português eliminaram as notas de esclarecimento que tinham publicado anteriormente. Entretanto, uma atualização do site oficial em português do Vatican News, trouxe às 14:22h desta terça-feira, 12, um esclarecimento com um texto diferente àquele publicado nas redes sociais. Segue abaixo, na íntegra, o texto tomado do site oficial Vatican News em idioma Português:

Esclarecimento sobre a notícia da entrega de Terço do Papa ao ex-presidente Lula.

O advogado argentino Juan Gabrois, fundador do Movimento dos trabalhadores excluídos e consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz, deu uma entrevista em sua tentativa de visitar o ex-presidente Lula na prisão de Curitiba, onde está detido há mais de dois anos meses [sic]. Grabois disse que a visita era pessoal e não em nome do Santo Padre. Ele não teve a permissão para se encontrar com Lula.

Na entrevista, ele nunca declarou que foi o Papa a enviar o Terço, mas simplesmente que se tratava de um Terço que tinha sido "abençoado" pelo Papa. Terços como esse são levados, como o Santo Padre deseja, a tantos prisioneiros do mundo sem entrar no mérito de realidades particulares.


www.acidigital.com

Nenhum comentário

DESTAQUES

Governador do Maranhão Flávio Dino, eleito no primeiro turno têm suas contas de campanha aprovadas pelo TRE

Em julgamento nesta sexta-feira (14), o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) aprovou, por unanimidade, as contas de ca...